Orquestras
Carlos Gomes - ABERTURA DE O GUARANI
A ópera “O Guarani”, criada por Carlos Gomes e baseada no livro homônimo de José de Alencar, foi o primeiro sucesso de uma obra musical brasileira no exterior. Carlos Gomes começou sua composição entre 1867 e 1868, mas ela só foi finalizada mais tarde e teve sua estréia no dia 19 de março de 1870, no Teatro Alla Scalla de Milão, na Itália.
Orquestra Sinfônica Nacional UFF
Série Alvorada
Anderson Alves - SUÍTE PIXINGUINHA
A obra completa possui 5 movimentos e passeia por vários temas de Pixinguinha, dentre eles Rosa, Glória, Os Oito Batutas e Ainda me Recordo.
I - Uma Rosa para Glória
Orquestra Sinfônica Nacional UFF
Série "OSN Popular"
Ernest Mahle - FESTA NO CÉU
Festa no Céu" traz a história amazônica protagonizada pelos animais e tem a participação do ator Leonardo Simões, integrando teatro música e literatura.
Orquestra Sinfônica Nacional UFF
 
Vittor Santos - DIVAGAÇÕES No.12
Concerto para Clarineta e Orquestra
solista: Victor Hugo Rêgo (vencedor do concurso Jovens Talentos OSN)
Orquestra Sinfônica Nacional UFF
Série OSN Popular
G.Gershwin - UM AMERICANO EM PARIS
O poema sinfônico “Um Americano em Paris” foi composto em 1928, graças a um patrocínio da Orquestra Filarmónica de Nova Iorque. Inspirado na estadia de Gershwin na capital francesa, evoca as paisagens e a energia de Paris, nos anos vinte, do séc. XIX, e é uma das obras mais conhecidas do compositor.
Orquestra Sinfônica de Barra Mansa
 
E.Elgar - CONCERTO PARA VIOLONCELO E ORQUESTRA
Elgar compôs essa peça composta durante o verão de 1919 em seu chalé "Brinkwells", próximo a Fittleworth, Sussex, onde nos anos anteriores ele presenciou o som da artilharia da primeira guerra mundial ecoando da França à noite no Canal da Mancha. Em 1918 Elgar passou por um procedimento cirúrgico em Londres para remover uma amígdala inflamada, o que na época era uma cirurgia delicada para um homem de 61 anos. Logo após a cirurgia, após acordar dos sedativos, Elgar pediu papel e caneta, e nesse momento ele escreveu a melodia que se tornaria o primeiro tema da peça. Elgar e sua esposa se mudaram para o chalé na intenção de se recuperar de seus problemas de saúde. Em 1918, Elgar compôs 3 peças para câmara, onde a sua esposa notou uma grande diferença dessas obras com obras compostas anteriormente pelo Elgar, e logo após as suas primeiras apresentações na primavera de 1919, Elgar começou a efetivar a ideia do concerto para violoncelo
Orquestra Sinfônica de Barra Mansa
Solista: Lauro Lira
 
Guerra-Peixe - MUSEU DA INCONFIDÊNCIA
César Guerra-Peixe (Petrópolis, RJ, 1914 - idem 1993). Compositor, arranjador, regente, violinista, professor, pesquisador. Com sete anos, toca "de ouvido" violino, violão e piano e participa de grupos de choro na cidade natal. Aos nove, começa a estudar teoria musical e solfejo, com Paulo Carneiro. Em 1925, ingressa na Escola de Música Santa Cecília, e se forma em violino com apenas 16 anos, tornando-se em seguida professor na mesma instituição. 
Orquestra Sinfônica de Heliópolis - Instituto Baccarelli
Concerto realizado no Theatro São Pedro - SP
 
Francisco Braga - EPISÓDIO SINFÔNICO
A curta obra sinfônica foi composta em Dresden, Alemanha, no ano de 1898 – o oitavo dos dez anos que o autor do nosso Hino à Bandeira viveu na Europa, sob os auspícios do governo brasileiro. Após ter estudado em Paris, fixar residência em Dresden fora mais do que apropriado, uma vez que Richard Wagner, seu ídolo, lá atuara como diretor do Teatro da Corte. Na magnífica capital saxã, Francisco Braga apreciou novas paisagens e dali se permitiu, como compositor, apesar do isolamento em que vivia, compartilhar – por meio de sua música – essas novas visões.
Orquestra Sinfônica Nacional UFF
 
Pixinguinha - MINHA VEZ
Arranjo: Anderson Alves
Orquestra Sinfônica Nacional UFF
Série OSN Popular
 
Ernest Mahle - ABERTURA FESTIVA
Mahle nasceu no ano de 1929, em Stuttgart, Alemanha. Chegou ao Brasil em 1951, naturalizando-se brasileiro em 1962. Foi aluno de composição de Johann Nepomuk David, na Alemanha; de Hans Joachim Koellreuter, no Brasil; e de MessiaenW. FortnerE. Krenek, em cursos internacionais de férias, onde também estudou regência com L. Von MatacicRafael Kubelik e Mueller-Kray.
 
Orquestra Sinfônica Nacional UFF
 
Moacir Santos - MELODIA PARA TROMPA
Iniciou sua carreira no sertão pernambucano como integrante de bandas. Na década de 1940 mudou-se para o Rio de Janeiro, e nessa cidade foi contratado pela Rádio Nacional. Durante dois anos, morou em São Paulo, onde regeu a orquestra da TV Record, voltando logo em seguida para o Rio de Janeiro. Em 1967 mudou-se para Los Angeles pois fora convidado para a estreia mundial do filme "Amor no Pacífico", do qual havia sido compositor. Estabeleceu moradia fixa na região de Pasadena, na Califórnia, onde viveu compondo trilhas para o cinema e ministrando aulas de música. Moacir Santos faleceu em 6 de agosto de 2006.
Orquestra Sinfônica Nacional UFF
Solista: Waleska Beltrami
 
Beethoven - Symphony 8
A Sinfonia n.° 8, Em Fá Maior, Opus 93 foi escrita por Ludwig van Beethoven no ano de 1812. Frequentemente, Beethoven referia-se a essa sinfonia como "minha pequena sinfonia em fá maior", diferenciando-a de sua Sinfonia n.° 6("Pastoral"), escrita na mesma tonalidade. Assim como várias outras obras de Beethoven, como as sonatas para pianoOpus 27, a oitava sinfonia desvia-se da tradição clássica, deixando o último movimento o mais intenso da obra. Possui passagens alegres e altas, com muitas notas acentuadas. Várias passagens da sinfonia são entendidas por alguns como piadas musicais. 
Orquestra Sinfônica de Barra Mansa
Concerto realizado no Teatro de Santa Isabel - Recife PE
 
G.Bottesini - GRAND DUO PARA CONTRABAIXO E CLARINETE
Giovanni Bottesini foi um contrabaixista extraordinário. Percorreu a Europa e as Américas em meados do século XIX, com tal êxito que se tornou universalmente conhecido como «O Paganini do contrabaixo». A espetacularidade dos seus concertos arrebatava plateias, inclusivamente a do Teatro de São Carlos, onde chegou apresentar quatro recitais no início de 1881. Sendo uma obra incontornável do seu repertório, também aí tocou o Gran Duo Concertante, na sua versão para violino, contrabaixo e piano.
Orquestra Jovem Música no Museu
Solistas: Natália Terra & Cristiano Costa
 
M.Grandjany - ÁRIA IN CLASSIC STYLE para Harpa e Orquestra 
Orquestra Jovem Música no Museu
Solista: Dharana Marum
 
E.Villani-Côrtes - A CATEDRAL DA SÉ

Edmundo Villani-Côrtes é natural de Juiz de Fora (MG), nascido em oito de novembro de 1930. O pulsar da sua vida acompanha os ritmos de sua vasta obra musical e com ela se funde e se confunde.

“Quando menino eu gostava de subir em árvores, via as árvores balançando e queria me juntar com aquilo. Quando sentia o vento ficava querendo me juntar a ele; quando via a água, ficava querendo ser a água… Tinha vontade de descrever tudo isto, lembranças e sentimentos da infância. Encontrei na música a ferramenta para que isto fosse possível.”

Seu aprendizado musical não obedeceu ao critério e à regularidade acadêmica. “Eu acho que não tive formação musical, eu tive informação musical.”

Autodidata, iniciou seus estudos por volta dos oito anos de idade com um cavaquinho, aplicando uma das suas fortes características: o senso de observação. “Quando meu irmão tocava, observava a posição que ele estava fazendo e fazia também. Eu acabei aprendendo de vê-lo tocar e ficar olhando para a mão dele.”

Orquestra Jovem Música no Muse
 
J.S.Bach - Concerto para 2 violinos BWV 1043

O Concerto para Dois Violinos ou Concerto para Duplo Violino (BWV 1043) é talvez uma das obras mais famosas e reconhecidas de Johann Sebastian Bach e é considerada uma das obras-primas do Barroco. Bach compôs em Leipzig entre 1730 e 1731, provavelmente para ser interpretado pelo Collegium Musicum Leipzig. Mais tarde, em 1739, em Leipzig, ele criou um arranjo para dois cravos, transposta em C menor (BWV 1062).

concerto é caracterizado pela relação entre os dois solistas de violino, que é mais perceptível no movimento mais famoso, o expressivo Largo ma non tanto. Nesse movimento, a orquestra de cordas se limita a tocar acordes para deixar todo o protagonismo do palco para os solistas.

Orquestra Jovem Música no Museu
Solistas: Tomaz Soares & Luisa de Castro